• WhatsApp
  • Recesso de Julho de 2018

Câmara instala software colaborativo "livre" e vai economizar R$ 57,5 mil por ano em licenças e atualizações

Uma nova e poderosa ferramenta entrou em funcionamento nos últimos dias e está à disposição dos funcionários da Câmara de Vereadores de Joinville. Conhecido como Zimbra, o pacote de colaboração online implantado no Poder Legislativo joinvilense é uma solução "open source" (livre) completa para escritórios e organizações de médio e grande portes.

De acordo com o diretor-geral, Flávio Eugênio Boldt, a utilização do sistema fará com que a Câmara pare de gastar em torno de R$ 50 mil em licenças de uso e mais R$ 7,5 mil em atualizações dos softwares "payware" (pagos) então utilizados.

"É mais uma vitória desta administração. Mais eficiência, com menos custo para o cidadão".

Composto de módulos de e-mail, agenda, catálogo de endereços global, mecanismo de compartilhamento de arquivos e ferramenta de socialização de dados, o Zimbra é absolutamente gratuito. Fabricado pela empresa VMWare, o sistema foi inteiramente instalado e configurado pela diretoria de Tecnologia da Informação da Câmara. Usando a experiência prévia de outros projetos para assegurar o sucesso da mudança, o processo de transição foi encerrado às 23 horas do último dia 6.

O analista de sistemas Odil Bernstorff Neto afirma que foram aproximadamente quatro meses de testes e ensaios. O sistema foi estressado e reagiu bem sob cargas muito superiores às da atual realidade da Câmara.

"Estamos seguros de que o produto se comportará de forma estável e veloz durante todo o seu ciclo de vida".

Antes da instalação, a equipe realizou treinamentos com os funcionários. O objetivo do novo sistema, segundo o consultor Jilsimaico Daru, é "dar ao usuário uma experiência de uso superior à dos webmails convencionais como Hotmail e Gmail, uma vez que o Zimbra é voltado para a colaboração de escritório".

No novo sistema, todos os usuários dispõem de 3 gigabytes de espaço para armazenamento de suas mensagens e arquivos. Antes, o espaço era de apenas 10 megabytes para cada um. Baseando-se nos cálculos do setor, essa capacidade será suficiente para armazenar 60 mil mensagens de tamanho médio.

"Esse tamanho é apenas um começo. Com o amadurecimento do sistema, poderemos aumentar a área de armazenamento ainda mais. Tudo depende do uso que os funcionários farão do Zimbra", complementa Odil.

Secretário de Educação e Ajocedi serão convocados para a sessão desta quarta na Câmara

O secretário Municipal de Educação Marco Aurélio Fernandes e as entidades associadas a Associação Joinvilense dos Centros de Educação Domiciliar Infantil (Ajocedi) serão oficialmente convocados para comparecer na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Joinville, nesta quarta-feira, a partir das 17 horas, para tratar sobre falta de repasses à entidade e que poderá resultar no fechamento de 64 creches domiciliares. A convocação foi colocada em apreciação na sessão de hoje e resultou empatada por sete votos a favor e sete contrários. O voto minerva do presidente do legislativo Odir Nunes foi favorável pela convocação. O tema central da discussão, que gerou polêmica, já tinha sido debatido na reunião extraordinária da Comissão de Finanças, da última segunda-feira, quando todos os vereadores, representantes da prefeitura, pais das crianças que utilizam as creches e associados da entidade pediram para a prefeitura uma solução para o problema. Nesta quarta, os parlamentares irão questionar, para o secretário e à Ajocedi, sobre quais são os motivos para que os repasses de recursos às creches estarem atrasados há cinco meses, podendo ocasionar o fechamento das creches.{jcomments on}

Semana da saúde mental tem mais uma edição

Iniciativa que visa promover a discussão sobre o tema, proporcionar intercâmbio entre usuários, familiares e profissionais da área, e contribuir para a inclusão social dos doentes é fruto de Projeto de Lei n° 123/2008, proposto pela Vereadora Tânia Eberhardt.

É com grande satisfação que a Vereadora Tânia Eberhardt vê sendo cumprida a Lei n° 6.246/2008, que institui a Semana Municipal da Conscientização e Orientação sobre a Saúde Mental. Em vigor desde julho de 2008, a proposta tem como objetivo sensibilizar a comunidade joinvilense, além de promover espaço para a discussão do tema, bem como as melhores formas de tratamento e alternativas para diminuir o preconceito contra os portadores da doença.

Oriunda do Projeto de Lei n° 123/2008, a Lei está amparada em dados contundentes a respeito da doença. Segundo estatísticas do Ministério da Saúde, 3% da população geral sofre com transtornos mentais severos e persistentes. Outros 6% apresentam transtornos psiquiátricos graves decorrentes do uso de álcool e outras drogas, enquanto 12% necessitam de algum atendimento em saúde mental, seja ele contínuo ou eventual.

“Anualmente, 2,3% do orçamento do Sistema Único de Saúde (SUS) são destinados à saúde mental, mostrando que o problema não é tão raro quanto se pensa. Ao invés de fingir que ele não existe, esta Lei propõe que se encontre a melhor forma de ajudar essas pessoas, especialmente no que tange à sua inclusão na sociedade e no mercado de trabalho”, ressalta a parlamentar peemedebista.

A organização das atividades, que serão realizadas de hoje até 21 de maio, fica a cargo da Comissão Municipal de Atenção Psicossocial, Grupo de Condução SUS-PIRE, Núcleo da Luta Antimanicomial Nise da Silveira, Associação Fêxix e Associação de Recuperação para o Trabalho (Repart). A realização é da Secretaria Municipal de Saúde.

Tânia ressalta, entretanto, que a programação é voltada para a comunidade em geral. “É importante que todos conheçam a situação para aprender a lidar melhor com casos de deficiência mental, e até mesmo para aprender sobre o assunto”, frisa.

Boa parte das ações – que envolvem palestras, exibição de filmes e posterior discussão dos temas – ocorre na Casa da Cultura. Mas haverá ações gratuitas e abertas à participação da comunidade no Centreventos Cau Hansen, na Câmara de Vereadores, no Mercado Municipal e no Serviços Organizados de Inclusão Social (Sois), localizado na Rua Aracaju, 1.368.{jcomments on}

Redigiu: Priscilla Milnitz - Gabinete da Vereadora Tânia Eberhardt

Gratificação aos servidores da Defesa Civil

Valorizar e incentivar os servidores que atuam na Defesa Civil criando gratificação aos funcionários de carreira é a proposta do PL nº 86/11, de autoria do vereador Juarez Pereira. O projeto motivou um debate na comissão de Legislação, ocorrida nesta tarde.

A secretária de gestão de pessoas da Prefeitura de Joinville, Márcia Streit e Alvir Antônio Schneider, representando a Defesa Civil da cidade, participaram das discussões. Para Alvir, o projeto é meritório e contemplaria os demais funcionários da instituição que não recebem gratificação. Atualmente, a Defesa Civil de Joinville conta com 15 servidores. Destes, quatro recebem a gratificação. Márcia analisa como justa a reivindicação. Por outro lado, entende que a discussão deve ser feita em outra oportunidade, referindo-se a possível construção da Secretaria da Defesa Civil.

O vereador Maurício Peixer, como os demais membros da comissão, entendem que o projeto tem mérito mas é ilegal. Por criar despesas ao Executivo, o projeto teve como parecer vício de origem. A vereadora Tânia Eberhardt salientou a importância de se criar o cargo específico para a Defesa Civil, contemplando suas atribuições, deveres e obrigações. Neste sentido, abrindo concurso público específico para atuar junto à instituição. Juarez Pereira entende que a iniciativa do projeto deve partir da Prefeitura. “Acompanho os trabalhos da Defesa Civil e sei da sua importância. Quero levantar o debate sobre o tema”, destaca Juarez.

O vereador Manoel Bento, presidente da comissão, falou em regulamentar a Defesa Civil. Bento sugeriu que o PL seja modificado e vire uma moção, sugerindo à Prefeitura estudos para a construção da secretaria e toda a infraestrutura necessária.

Bocas-de-lobo ecológicas

O uso de grelhas de bocas-de-lobos feitas de polímeros, ou seja, material plástico e reciclável também foi pautado na reunião. O PL nº 48/11, do vereador Jucélio Girardi, defende a substituição das atuais bocas-de-lobo de ferro fundido pelo material reciclado. Na visão do parlamentar trata-se de um projeto sustentável que defende o meio ambiente. Outro fator importante levantado pelo vereador é a economia que o projeto pode trazer ao município. “Não é um projeto inédito. Ele existe em cidades como São Paulo e Campinas”, destaca Jucélio.

Para contribuir nas discussões, foram convidados representantes da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fundema), Secretaria Regional Central e Secretaria de Infraestrutura Urbana (Seinfra). O presidente da comissão de Urbanismo, vereador Lauro Kalfels, também participou da reunião. Marcos Schoene solicitou pequenas alterações no projeto e destacou que o modelo de grelha a ser usado deve passar por rigorosos critérios técnicos, como resistência e capacidade de carga. Rocheli Grendene, secretária da Regional Centro, afirmou que há sete meses grelhas ecológicas estão em testes na cidade. Segundo ela, a produção do material existe na cidade. Para João Gilberto, da Seinfra, tornar obrigatória a substituição sem um conhecimento técnico mais aprofundado é temeroso. Segundo Gilberto, normas devem ser seguidas para que acidentes não ocorram. O vereador Jucélio se comprometeu em adaptar o projeto com o auxílio do jurídico da CVJ. O relator do projeto, vereador Patrício Destro, buscará novas informações sobre o tema para ter subsídios para um parecer final sobre o PL nº 48/11. A comissão volta a se reunir na próxima terça-feira, dia 24 às 15 horas.{jcomments on}

Fotos: Sabrina Seibel

PL que ampara dono de imóvel tombado é apresentado na Câmara

Deverá ser protocolado na Câmara de Vereadores de Joinville, nos próximos dias, o projeto de lei que prevê compensações aos proprietários de bens tomados ou cadastrados como Unidades de Interesse de Preservação (UIP). O anúncio da nova legislação e o que implementa o Inventário do Patrimônio Cultural de Joinville (IPCJ) foi feito na manhã de hoje, no plenarinho da Câmara de Vereadores de Joinville, na abertura da Semana Nacional de Museus. Contou com a presença do presidente da casa, vereador Odir Nunes, do prefeito Carlito Merss, do presidente da Fundação Cultural (FC), Silvestre Ferreira e de Elizabete Tamanini, gerente de patrimônio e Charles Narloch, diretor geral da Fundação Cultural. Para Odir as medidas são muito importante e um avanço para o setor pois até ágora ficava para o proprietário de imóveis tombados apenas o ônus das obrigações e responsabilidades. O projeto beneficiará o proprietário com isenção de pagamento de taxas para reformas e para alvará para comércio ou prestação de serviços, dedução de IPTU, ISSQN e ITBI de imóveis inventariados, cujos percentuais variam conforme o nível de preservação, entre 40 e 100%. Além outros vários benefícios compensatórios que permitirá que o dono invista no imóvel. O vereador comprometeu-se em agilizar a votação da nova legislação por se extremamente positiva para muitos joinvilenses.{jcomments on}

Foto: Nilson Bastian

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br